Publicado em 01 de fevereiro de 2018 às 09:06

Nesta quarta-feira (31), representantes do Executivo, do Legislativo e do Conselho Municipal de Saúde (Comus) de Araçatuba realizaram visitas técnicas em Unidades Básicas de Saúde (UBSs), a fim de estudar alternativas para melhorar o atendimento de urgência e emergência à população da zona sul da cidade.

A visita ocorreu nas UBSs Farmacêutico Antônio Saraiva, no bairro Iporã, e Dr. Walter Divino da Costa, no bairro Pedro Perri. Participaram da vistoria o prefeito Dilador Borges; os secretários municipais Carmem Silvia Guariente, de Saúde, e Josué Cardoso de Lima, da Fazenda; a diretora do departamento de Atenção Básica, Aparecida Nava; o diretor do departamento de Urgência e Emergência, Éverton Sousa do Amaral; o presidente da Câmara, Rivael Papinha; o presidente do Comus, Ricardo Machado; e o assessor executivo da Secretaria Municipal de Governo, Thiago Mendes.

Carmem afirma que a intenção é oferecer atendimento ampliado à população. “Atualmente temos o levantamento de que 90% das pessoas que utilizam os serviços do Pronto Atendimento do bairro São João são moradores dos bairros Jussara, Pedro Perri e adjacências. Verificamos a possibilidade das UBSs comportarem atendimentos de urgência e emergência. Estamos avaliando em conjunto para ter a melhor decisão”.

RESOLUTIVIDADE

Dilador ressalta a importância da união com o Legislativo e com o Comus. “Nossa preocupação é conjunta: cuidar das pessoas, dar a elas atendimento humanizado e diminuir ao máximo o sofrimento por um atendimento médico ou por medicamento. Criou-se, em geral, uma política de construir, mas não pensaram em recurso financeiro para dar suporte a tudo isso. Já nós trabalhamos com um conceito simples: a resolutividade. Por isso viemos conferir de perto para agir com responsabilidade e respeito às pessoas”.

Ricardo, presidente do Comus, reitera a opinião do prefeito. “Enquanto Conselho de Saúde, temos como preocupação acrescentar soluções para os agravos de saúde. Com a visita, pudemos observar que as unidades são boas, mas vamos deliberar, em reunião com todos os representantes públicos de saúde, para resolver a questão aqui apresentada”.

Papinha disse que o diálogo é a melhor ferramenta para resolver problemas. “Falava-se muito que a zona sul deixaria de ter atendimento de urgência e emergência caso o P A São João fosse interditado. Estamos aqui para provar o contrário. Entendo que trazendo esse atendimento para a citada região vai facilitar para a comunidade”.