Publicado em 01 de novembro de 2017 às 20:36

O presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil da Região Oeste do Estado de São Paulo (Sinduscon OESP), Aurélio Luiz de Oliveira Júnior, visitou a prefeitura de Araçatuba com o intuito de pedir apoio político à proteção do setor.

Oliveira Junior entregou ao prefeito Dilador Borges um manifesto das empresas do segmento contra a Medida Provisória de autoria do deputado federal Alex Canziani (PTB-PR), que propõe direcionar recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) ao Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).

A MP ainda tramita na Câmara dos Deputados e visa autorizar o direcionamento de parte dos recursos do FGTS para o fundo estudantil. Segundo o representante do Sinduscon, o setor de construção civil será prejudicado caso a medida seja aprovada.

“O FGTS que foi criado para dar amparo ao trabalhador e acabou tornando-se um grande fundo que financia a habitação, saneamento básico e a infraestrutura urbana, que tem como desdobramentos o apoio aos setores de construção civil e a geração de empregos. Se esses recursos forem levados para outros setores, vai falta na habitação. Hoje temos um déficit no país de 12 a 15 milhões de habitações. Já o Fies tem uma dotação própria”, afirmou o Oliveira Junior.O prefeito Dilador Borges declarou apoio ao protesto também baseando-se no desequilíbrio de forças que poderia ser gerado pela mudança. “A Educação já tem, garantidos por lei, a quarta parte (25%) da arrecadação total do país inteiro, de onde sai o recurso para o Fies. Acredito que os setores de construção e de habitação são também importantes e não podem ter esse apoio reduzido ou, como bem possível, até esgotado. Não podemos deixar a população desamparada em nenhum setor”, finaliza o prefeito.