Publicado em 18 de setembro de 2018 às 17:17

Aconteceu nesta terça-feira (18) o Seminário Energias Renováveis e Eficiência Energética, promovido pela Prefeitura de Araçatuba, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Relações do Trabalho (SMDERT), pelo Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) Alta Noroeste e Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) – entidades que congregam a indústria paulista – com apoio do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Unip, Sinbi (Sindicato das Indústrias de Calçado e Vestuário de Birigui) e Udop (União dos Produtores de Bioenergia). O evento, que ocorreu no auditório da Unip Araçatuba, teve dez palestras sobre energia renovável e suas fontes.

Para o secretário Marcelo Mazzei, o evento foi uma oportunidade única para se fazer a discussão das vantagens da utilização das energias renováveis. “Existem novas formas de geração de energia, com o aproveitamento de muitos materiais que hoje ainda são descartados. Esse seminário mostra que precisamos olhar para o futuro de maneira sustentável, ou seja, de encontrarmos meios para a geração de energia renovável e não poluente”, analisou.

Sergio Ojima, gerente do Departamento de Infraestrutura do Ciesp, também apontou a difusão da informação como principal objetivo do seminário. “Queremos difundir as muitas opções que temos, em termos de energias renováveis, especialmente nesta região do estado, onde a prevalência do sol por si só incentiva o uso dessa energia”, comentou. Ojima ressaltou, ainda, o fato de o estado de São Paulo ganhar a primeira usina solar, a ser inaugurada em breve no município de Guaimbé.

“A receptividade às novas formas de geração de energia limpa e renovável é total. Hoje, o estado de São Paulo é importador de energia, mas somos riquíssimos em insumos para a geração, com biomassa, álcool e energia solar, por exemplo”, finalizou.

O subsecretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, Antonio Celso de Abreu Junior, ressaltou que o foco do governo estadual é ampliar a matriz energética, pois “não nos faltam insumos, como a energia solar, o biogás, o biometano e muitos outros”.

Ao falar para os representantes de cerca de 20 municípios presentes ao encontro, Antonio Celso ressaltou que a perspectiva é que o estado reduza drasticamente a necessidade de importar energia, através da ampliação de geração de energia fotovoltaica (solar) e do uso do metano obtido a partir do biogás.

O subsecretário também valorizou o uso da vinhaça para a geração do biogás e até mesmo do aproveitamento do biogás gerado em aterros sanitários. “Isso tudo pode gerar energia. Se separarmos totalmente o que é reciclável do lixo domiciliar, orgânico, os aterros pode gerar biogás de qualidade e alimentar a produção de energia elétrica. Temos um encadeamento que favorece a qualidade de vida, a preservação do meio ambiente e a geração de energia e riqueza”, comentou.

Ao falar na abertura do evento, o prefeito Dilador Borges lembrou que a atual situação econômica desestimula muitos empresários, de todos os setores, mas que esse é o momento de se fazer novos investimentos. “Vejo com muita esperança que os investimentos não vão parar. Depois do que já sofremos com a falta de energia, a gente sabe que este é o momento de investir, de acreditar nas novas fontes, de apostar nas energias renováveis, como a fotovoltaica e a de biomassa”, afirmou.