Publicado em 05 de fevereiro de 2021 às 16:34

A Prefeitura de Araçatuba fez, nesta sexta-feira (5), uma transmissão ao vivo com instruções para a Volta às Aulas, que na rede municipal se iniciam na próxima segunda-feira, dia 8 de fevereiro. A live foi conduzida pela secretária de Educação, Silvana de Sousa e Souza, e pela secretária de Saúde, Carmem Guariente.

A volta às aulas na rede municipal, estadual e particular deve respeitar o percentual reduzido de alunos estabelecido para as fases Vermelha e Laranja do Plano São Paulo, que é de 35%.

Mesmo com a classificação de Araçatuba para a Fase Amarela, nesta sexta-feira (5), a Secretaria Municipal de Educação manterá o percentual de 35% de alunos em forma presencial durante todo o mês de fevereiro.

Assim, os alunos foram divididos em três grupos e cada grupo vai frequentar a escola em uma semana do mês. Já foi amplamente divulgado aos pais qual semana o filho está escalado para ir à escola.

Nas outras semanas em que o aluno não for à escola, será dada a continuidade das aulas de forma remota. Para quem não tiver acesso à internet, será entregue a esses alunos a versão impressa do conteúdo para que a sequência do aprendizado não seja comprometida. O conteúdo vai ser padronizado para toda a rede, considerando a faixa etária do aluno, para que não haja perda de aproveitamento do conteúdo.

ADAPTAÇÃO

Silvana afirma que a compreensão dos pais será fundamental nesse processo de retorno às aulas presenciais. “Estamos em um contexto novo. É um período de adaptação das regras, de acolhimento emocional e esse é o momento em que faremos a sondagem do quanto os alunos conseguiram assimilar com as aulas online. Assim, será possível nortear nosso trabalho no decorrer do ano”.

É importante o respeito ao escalonamento, senão não será possível manter o distanciamento. O transporte municipal também será monitorado e fará o cumprimento das normas de segurança possibilitando o distanciamento social.

REGRAS SANITÁRIAS

Carmem Guariente ressalta que as regras sanitárias são essenciais e devem ser seguidas por todos nas escolas. “Distanciamento social, lavagem frequente das mãos ou uso de álcool em gel e uso de máscara em adultos e crianças maiores é fundamental. A Educação está preparada para receber os alunos e trabalhadores”.

Segundo a secretária Carmem, é importante que o aluno leve o mínimo de material escolar possível para evitar contaminação, levar uma máscara limpa e embalada e a criança deve estar saudável para ir à escola. “Nas crianças, os sintomas nem sempre são perceptíveis. Se durante a aula a criança não se sentir bem, haverá comunicação com a família e ela deve ser levada para atendimento médico pelos pais. Preparamos um fluxo de comunicação entre as Emebs e as Unidades Básicas de Saúde para que o atendimento seja otimizado”, explica Carmem.

A secretária Silvana fez um apelo aos pais e responsáveis para que mantenham os telefones de contato atualizados. “Mais do que nunca, é necessário que o canal de comunicação entre a escola e a família esteja cada vez mais integrado”.

NÃO OBRIGATÓRIO

Em casos de pais de alunos que não se sentem seguros em levar seus filhos à escola, deverá ser preenchido um formulário de Recuso de Retorno às Aulas através de um link na plataforma Demandanet.

“Até o momento menos de 5% dos pais manifestaram desejo de continuar apenas de forma remota, ou seja, percebemos que, em geral, os pais têm um anseio pela volta às aulas presenciais. A Secretaria de Educação e escolas estão abertas para tirar dúvidas.”, finaliza Silvana.