Publicado em 05 de novembro de 2021 às 11:18

Ainda em cumprindo de pena, autor possui material para produzir outros livros

Aos 39 anos, o reeducando Adenilson Almeida de Souza tem ressignificado sua vida dentro do Centro de Ressocialização (CR) de Araçatuba: retomou os estudos e finalizou o Ensino Médio. Depois, passou a fazer parte do Clube de Leitura – Programa Lendo a Liberdade, que o despertou para a carreira literária, resultando na publicação de seu primeiro livro “O Propósito de Piegas: Contos”, composto por 13 contos diferentes.

Em cumprimento de pena no regime semiaberto, Souza venceu as barreiras psicológicas do cárcere sob o poder transformador dos livros. A prisão deu a ele a oportunidade de concluir o Ensino Médio e já na sua formatura, se destacar com ideias que resultaram em duas peças de teatro dentro da unidade. Logo depois, começou a participar do Clube de Leitura, onde teve contato com obras que o incentivaram a iniciar a carreira de escritor. Desde então, não parou mais de escrever.

“ Tudo começou quando aceitei um desafio no projeto. Sei que para tudo há um propósito. A ideia estava lá, sempre esteve. Somente precisava de um empurrão, um despertar. Despertei, aprendi, arrependi, vivi e sobrevivi. Me preocupo com os borrões do meu passado, mas acredito no bem que faz as boas linhas do futuro’”, conta Souza.

Os textos chamaram a atenção da professora Maria Palmira Minholi Dias, da escola vinculadora E.E. José Cândido, que ministra aulas no presídio, além de mediar o Clube de Leitura. A qualidade do material a levou, juntamente com os funcionários do CR, a buscar colaboradores para divulgação dos textos.

PRODUÇÃO

A Academia Araçatubense de Letras, na pessoa de Hélio Consolaro se prontificou a fazer a revisão do conto “O Propósito de Piegas” que, a princípio, seria o único a ser publicado. Mas a produção de textos não parava. Foi então que a professora Maria Adriana Silva, em fase final de seu pós-doutorado em Portugal, colaborou com a revisão dos demais textos, enquanto a capa era composta pelo publicitário Renato Costa Barbosa. Em seguida, buscou-se o registro na Câmara Brasileira do Livro. Faltava o mais difícil: uma editora que se interessasse pelo material de um escritor preso e iniciante. Foi aí que duas pessoas, que não querem ser identificadas mas que acreditam na ressocialização prisional, prontamente, doaram a produção de 20 exemplares.

ALCANCE

Em outubro, a professora Dias entregou um exemplar da obra em mãos ao Secretário de Estado da Educação, Rossieli Soares, e outro à vice-prefeita de Araçatuba, Edna Flor. Como reflexo da ação, nos dias 03, 04 e 05 de novembro o CR de Araçatuba, em parceria com a escola vinculadora, realizará a 1ª Jornada Literária da unidade prisional.

PROJETO

O Clube de Leitura é um projeto da Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel” (Funap) e faz parte do Programa de Incentivo à Leitura “Lendo a Liberdade”. Nesta modalidade de leitura dirigida, são estruturados três encontros de mediação: no primeiro, é apresentado o acervo de obras e a execução das ações. No segundo, são esclarecidas dúvidas e fomentados debates sobre a obra escolhida. No terceiro, ocorre a elaboração do Relatório de Leitura final.

“É um trabalho muito gratificante e edificador, pois os reeducandos, ao final dos encontros, tornam-se leitores assíduos, possibilitando, inclusive, a remição de pena pela leitura após análise dos relatórios pelo juízo competente”, esclarece o gerente regional da FUNAP, Marcos Antônio Hidalgo.

SAMSUNG CSC

SAMSUNG CSC

SAMSUNG CSC

SAMSUNG CSC