Publicado em 04 de dezembro de 2018 às 09:12

Em referência ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, comemorado em 3 de dezembro, as secretarias municipais de Participação Cidadã (SMPC) e de Assistência Social (SMAS) e o Conselho Municipal para Assuntos da Pessoa com Deficiência de Araçatuba (COMPcD) realizaram uma campanha intitulada “Essa vaga não é sua nem por um minuto”.

Nesta segunda-feira (3), no cruzamento das ruas Bandeirantes com a XV de Novembro, as equipes orientaram motoristas sobre o respeito às vagas privativas para pessoas com deficiência. Foram colados adesivos nos carros, como forma de melhor divulgar a campanha.

Também conhecido como o Dia Mundial das Pessoas com Deficiência, esta data tem o objetivo de informar a população sobre todos os assuntos relacionados ao tema, além de promover a conscientização da sociedade sobre a importância de inserir as pessoas com deficiência em diferentes aspectos da vida social, como da política, da econômica e da cultural.

DECRETO

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas, aproximadamente 10% da população mundial tem alguma deficiência.

O Decreto Federal nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, define a deficiência humana como “toda perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade, dentro do padrão considerado normal para o ser humano”.

A secretária municipal da SMAS e da SMPC, Maria Cristina Domingues, enfatizou a importância das políticas afirmativas. “A principal ideia desta data é refletir e colocar em prática os melhores métodos para garantir uma boa qualidade de vida e dignidade para que todas as pessoas com algum tipo de deficiência possam usufruir da acessibilidade e cidadania a que tem direito”.

Para Valmir Ábrego, coordenador municipal da Pessoa com Deficiência e presidente do COMPcD, afirma que iniciativas como essas são de fundamental importância para a mudança de paradigmas que erroneamente ainda prevalecem no pensamento coletivo. “Destacar ações de sensibilização pelos direitos das pessoas com deficiência promove, mesmo que discretamente, uma reflexão sobre o tema de forma imediata e, a médio e longo prazo, constrói caminhos para uma sociedade mais acessível e inclusiva”.