Publicado em 21 de junho de 2018 às 09:17

A Prefeitura de Araçatuba oficializou, nesta quarta-feira (20), a implantação de Brigadas Contra o Aedes aegypti.

A proposta de criação das brigadas foi apresentada pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) e Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) ao Comitê de Mobilização Institucional Contra o Aedes, que é formado por representantes das secretarias municipais de Araçatuba.

A vigilância e o controle do Aedes aegypti em prédios públicos têm por objetivo reduzir ou eliminar o risco de proliferação do mosquito nessas edificações e diminuir o risco de ocorrências de casos de doenças transmitidas pelo inseto.

De acordo com o decreto estadual nº 62.130 de 29 de julho de 2016, deverão ser criadas, em todos os órgãos e entidades da administração direta, indireta e fundacional, equipes de trabalho denominadas ‘Brigada contra o Aedes aegypti’, composta de no mínimo três servidores. Cada brigada atuará em seu respectivo órgão.

A secretária municipal de Saúde, Carmem Sílvia Guariente, ressaltou a importância de definir pequenos grupos para a realização do trabalho de fiscalização. “Relato aqui o trabalho fundamental que está sendo instituído nesta manhã: cuidarmos de nosso próprio local de trabalho é essencial para promover saúde. Foram entregues coletes de identificação para todos os brigadistas e é importante que nós servidores mostremos que estamos fazendo nossa parte. São vinte minutos semanais em que a brigada de cada prédio municipal fará as vistorias nos possíveis locais de risco, além de orientar a população que estiver sendo atendida nesses locais”.

Participaram o prefeito Dilador Borges; a vice-prefeita Edna Flor; secretários municipais de Saúde, Carmem Silvia Guariente, de Administração, Arnaldo Morandi, e de Assistência Social e Participação Cidadã, Maria Cristina Domingues; agente técnica de saúde da Sucen, Tânia Suto; vice-presidente do Comitê de Mobilização Institucional Contra o Aedes, Rosemeire Carvalho; e o diretor das Vigilâncias Sanitária e Epidemiológica, Alexandre Cândido Alves.