Publicado em 05 de maio de 2020 às 12:51

Setenta e oito milhões de reais. Esse é o investimento que Araçatuba está recebendo com as obras de infraestrutura em vários bairros do município desde 2017.

Na área urbana ou rural, no centro ou nos bairros, Araçatuba está um verdadeiro canteiro de obras. Através de parcerias, convênios e recursos próprios, a Prefeitura de Araçatuba está investindo, de 2017 até maio de 2020, R$78.674.452,29. Foram 99 ordens de serviços emitidas nesse período.

Além desses R$78 milhões, a prefeitura retomou 10 obras que foram abandonadas pela administração anterior, que datam de 2016. São R$1.725.818,29 de investimentos em obras como a pavimentação asfáltica em ruas do Jardim Lago Azul e a construção da Estação Cidadania, no Jardim Atlântico.

A Estação Cidadania é um grande centro de esportes, lazer e cultura que teve sua primeira ordem de serviço assinada em 2012, mas foi interrompida em 2014. Em 2017, a Prefeitura de Araçatuba firmou acordo com a Caixa Econômica Federal para terminar as obras de construção do equipamento. A inauguração ocorreu em 2019. Caso não fosse retomado, a população ficaria sem o equipamento e a prefeitura teria que devolver ao Governo Federal o valor investido.

Os investimentos não param por aí. A administração atual informa que estão previstos mais R$26 milhões em investimentos. Estão em tramitação 29 processos de licitação para reformas em escolas, iluminação pública, adequações no aterro sanitário, museu, implantação de galerias de águas pluviais, entre outros.

SEM OBRAS PARADAS

Tadeu Consoni, secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, garante que a prefeitura não tem obras paradas. “Não existe nenhuma obra que está parada em Araçatuba. Todas as obras obedecem os trâmites processuais de licitação e, quando há algum problema, a administração cumpre o ritual legal de procedências a serem tomadas em cada situação”.

“As obras de prolongamento da avenida Pompeu de Toledo, por exemplo, estão em andamento, sendo cumprido todos os trâmites processuais. Ainda nessa semana a administração publica o edital para contratação de nova empresa que dará continuidade à obra”, afirma o secretário.

Outra obra que aparenta estar parada mas não está e a da construção do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). A obra foi abandonada pela empresa vencedora da licitação em 2016. Com o contrato rompido, outro processo licitatório precisou ser aberto e a nova empresa vencedora assinou, junto ao prefeito Dilador Borges, a ordem de serviço na última quarta-feira (29).