Publicado em 17 de junho de 2020 às 08:43

Na tarde de terça-feira (16), às 15h, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM) e o Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran), receberam o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, em visita a obras e ao novo escritório da associação no Parque Clibas de Almeida Prado.

Na oportunidade, o presidente da ABQM, Caco Auricchio, fez solicitação de alvará para a realização do 43° Campeonato Nacional do Quarto de Milha, em acordo com a cartilha de ‘Orientações para o Disciplinamento de Provas Equestres’, também apresentada à imprensa na reunião.

Participaram do encontro, pela ABQM, o presidente Carlos Eduardo Pedrosa Auricchio “Caco”, Carlos Eduardo Faraco Braga (Presidente do Conselho de Administração), Manuel Rossitto (Superintendente Geral) e Jamil Buchalla (Conselheiro Fiscal), e pelo SIRAN, o presidente Fábio Brancato.

A ABQM criou o seu escritório no recinto, concluiu a reforma da casa veterinária, de onze pavilhões de baias, além da ampliação da rede primária elétrica e da extensão em 7 km da rede hidráulica. Estão em fase de conclusão as benfeitorias no pavilhão dormitório. Ainda estão em andamento melhorias em 13 banheiros fixos do parque. As obras seguem medidas de segurança para a prevenção à Covid-19.

Pedido para retomada das provas

A ABQM elaborou uma cartilha de ‘Orientações para o Disciplinamento de Provas Equestres’, contendo informações sobre as legislações vigentes do município e do Estado de São Paulo. O documento inclui requisitos recomendados pelos órgãos de saúde, para o combate ao coronavírus, e prevê um número máximo de participantes, respeitando as medidas de distanciamento social.

Segundo o presidente da Associação, Caco Auricchio, esse trabalho busca garantir o bem-estar e a segurança dos quartistas e da sociedade de Araçatuba e Região, bem como a realização das competições. “A retomada dos Esportes Equestres se faz necessária, pois movimentam toda a cadeia produtiva do cavalo, garantindo as atividades dos centros de treinamento, dos ferrageadores, dos veterinários, das empresas de ração, dos produtos veterinários, das lojas de equipamentos, etc. No Brasil, a Equinocultura emprega mais de 3 milhões de trabalhadores direta e indiretamente”, justificou.

Dilador Borges recebeu o pedido de alvará para a realização das provas, bem como o manual de disciplinamento das provas equestres e afirmou durante a reunião que nomeará uma comissão para análise, junto a órgãos envolvidos para amparo técnico e legal. “Minha resposta será uma só: a técnica. Somente haverá aprovação minha se houver aprovação dos órgãos de saúde, vigilância sanitária, segurança jurídica e demais setores competentes”, adiantou o prefeito.