Publicado em 27 de novembro de 2017 às 17:57

Nesta segunda-feira (27), Araçatuba abre as portas para o FESTARA (Festival de Teatro de Araçatuba). A abertura do evento, que antes seria no Teatro Castro Alves, acontecerá às 21h no Viveri Eventi e, na sequência, será realizada a primeira apresentação do Festival. Em formato de Monólogo, o ator Celso Frateschi apresentará um texto de Heiner Muller, intitulado Horácio, cuja classificação indicativa é de 16 anos.

Essa será a 14ª edição do FESTARA, que é, inclusive, o segundo maior festival de teatro do interior. O evento acontecerá de 27 de novembro a 03 de dezembro e contará com a presença de grandes nomes do teatro nacional, como Maria Alice Vergueiro, Georgette Fadel, Antonio Petrin e Roberto Arduin.

Serão 18 espetáculos e mais de 24 apresentações. Elas serão exibidas nos teatros Castro Alves e Paulo Alcides Jorges, Shopping Praça Nova, Oficina de Macacos, Calçadão da Princesa Isabel, saguão da Biblioteca Municipal, Porks Bar e nas praças Rui Barbosa e Getúlio Vargas.

Neste ano, o tema escolhido para o festival é “A Arte que Floresce”, destacando o desenvolvimento da arte teatral no município, que se fortalece a cada ano graças ao evento. O FESTARA é uma realização da Associação dos Artistas Teatrais da região de Araçatuba (Associata) em parceria com a Prefeitura Municipal de Araçatuba, a Secretaria Municipal de Cultura e o Serviço Social do Comércio (Sesc).

Espetáculo: “Vêm Vindo Histórias”

Tânia Antunes (Araçatuba/SP)

Local: 5 Escolas Municipais

Shopping Praça Nova

Sinopse: “A apresentação “Vêm Vindo Histórias” é um convite para uma viagem ao universo da oralidade. Através de elementos lúdicos, poéticos e musicais, os saberes de diversas culturas são apresentados ao público. No repertório fábulas, contos de fadas, lendas, histórias de sabedoria e cantigas,estimulam ao conhecimento pessoal e humano através da contação de histórias.”

Espetáculo: “Grazzi Ellas”

Grupo: Divina Decadência (Londrina/PR)

Data e horário: 28 e 29/11, às 22h30

Local: Oficina de Macacos

Sinopse: “A performance Grazzi Ellas traz à luz fatos verídicos e obscuros, permeados de violências e Transfobia, denunciando uma invisibilidade que é legitimada socialmente. O corpo Trans, moldado pelas violências sociais, mostra sua resistência cotidiana através da história de Grazzi, uma mulher Trans Londrinense que foi protagonista de um crime hediondo e transfóbico, tornando-se uma mártir na história da militância Trans em Londrina.”

Performance: Esculpindo o Vivo

Grupo: L2 (Londrina/PR)

Data e horário: 28/11, às 10h

Local: Calçadão da Princesa Isabel

Espetáculo: “Merci Camille”

Grupo: L2 (Londrina/PR)

Data e horário: 28/11, às 20h

Local: Teatro Castro Alves

Sinopse: “‘Merci Camille’ é um desafio estético, que parte da teatralidade percebida pelos atores nas composições das obras da escultora Camille Claudel, e em depoimentos coletados de suas cartas. Com este repertório, foi criada uma sequência de quadros, esboçados a partir do estudo e da linguagem corporal que a companhia L2 vem desenvolvendo nos últimos anos. O estatuário traz formas, sentidos e situações que os atores assimilam pela visão e pelo tato para, em seguida corporificar as intenções humanas e artísticas vislumbradas nas suas confissões. No palco, quadros estáticos se tornam dança; esculturas ganham vida.”

Espetáculo: AFINAÇÃO I,
Com Georgette Fadel (São Paulo/SP)
Data e Horário: 29/11, às 20h
Local: Teatro Castro Alves

Sinopse: Afinação I é uma aula ministrada pela personagem, a pensadora e professora francesa Simone Weil. Uma conferência sobre a relação entre a opressão e o sofrimento no mundo e o incrível boicote ao pensamento racional. É tudo sobre a liberdade.
São textos de Brecht, Hegel, da própria Simone Weil e algumas citações de Marx que compõem esse momento que pretende ser uma oração à razão. A beleza de conhecer, a possibilidade de através do trabalho sobre o espírito (pensamento), ver o mundo como ele é e habitá-lo com justiça.
O trabalho é de uma crueza e simplicidade cultivadas deixando todo o protagonismo para os movimentos do pensamento. Com muito cuidado, Simone afina as ideias, presentes nos sons e sentidos, e busca com muito fervor, fazê-las existir também no coração do público.
Um violoncelo é para Simone, o objeto de expressão dessa sutil afinação.

Espetáculo: “Desamador”

Grupo: Teatro do Indivíduo (São Paulo/SP)

Data e horário: 30/11, às 22h30

Local: Oficina de Macacos

Sinopse: “Na peça o ator narra uma história pessoal costurada com as crônicas do autor Fabrício Carpinejar e improvisos. A ideia é borrar a fronteira entre realidade e ficção e aproximar o público de uma conversa sobre o amor. Livre adaptação do livro “O amor esquece de começar”, publicado em 2006.”

Espetáculo: “Totó: o tocador de tambor”

Grupo: AIVU Teatro (São Paulo)

Data e horário: 01/12, às 15h

Local: Teatro Paulo Alcides Jorge

Sinopse: “Antônio é um menino de brilho nos olhos como qualquer outro. Um dia ele ouve o toque de um tambor numa Festa do Boi. Seu coração começa a bater no mesmo compasso. Pé com pé. Passo com passo. Ele resolve então sair em busca do seu próprio tambor. De encontro em encontro, de troca em troca, no caminho em direção ao mercado, o menino Antônio se transforma em Totó, o tocador de tambor.”

Espetáculo: “Eu, Mulher!”

Grupo: Grupo Empodera de Teatro (Araçatuba/SP)

Data e horário: 01/11, às 22h30

Local: Oficina de Macacos

Classificação indicativa: 18 anos

Sinopse: “Dividida em três monólogos, a peça narra o drama de três mulheres: a primeira, que sufocou; a segunda, que foi para a rua; e a terceira, que virou festa. Todas elas dão vazão aos seus pensamentos na tentativa de se empoderarem da própria existência, em meio a uma sociedade tradicional e conservadora. Três monólogos, três histórias distintas que, juntas, compõem Eu, Mulher!,? com duração total de 50 minutos.”

Espetáculo: “Mazé! De onde vem, quem é?”

Grupo: AIVU Teatro (São Paulo/SP)

Data e horário: 02/12, às 15h

Local: Teatro Paulo Alcides Jorge

?Sinopse: “Essa é a história da Mazé. Ela mora numa cidade grande, num prédio grande, no oitavo andar de um apartamento pequeno. E a vó dela mora numa cidade pequena, num bairro tranqüilo, numa casa simples com um pé de “mixirica” no quintal. A Mazé é menina perguntadeira e gosta de saber a origem das coisas. Mas ela nunca tinha perguntado a origem do próprio nome, por exemplo. Até que ela descobre que os nomes guardam muitas histórias…

Espetáculo: “Donantônia”

Grupo: Núcleo Ás de Paus (Londrina/SP)

Data e horário: 01/12, às 20h

Local: Saguão da biblioteca municipal

Sinopse: “Um café…uma pausa…um pensamento…um descanso para a alma. Dona Antônia vive a esperar visitas. Aquele que aceita o convite para um café e uma prosa com Antônia acaba descobrindo um mundaréu de lembranças que se espalham pelos cantos e vãos da casa desta anciã. As lembranças, companheiras da solidão de Antônia, abraçam-na e, em forma de acalanto, trazem à memória da senhora o despertar de seu passado-mais- que-presente. Ainda há tempo para mais um café? Ainda há tempo para um encontro inesperado.”

Espetáculo: “A Pereira da Tia Miséria”

Grupo: Núcleo Ás de Paus (Londrina/PR)

Data e horário: 02/12, às 10h

Local: Praça Rui Barbosa

Sinopse: “A Fome personificou-se em uma criança nascida da Miséria, separou-se de sua mãe e, desde então, percorre o mundo trazendo sofrimento a todos. Tia Miséria, no dia em que deveria morrer, engana a Morte, que acaba ficando presa em sua árvore. Em um acordo feito diante do olhar de todos, Tia Miséria liberta a Morte e pede em troca que a sua vida não seja levada. Decide, então, viver ingenuamente procurando pelo seu filho para que, somente junto dele, possa abandonar este mundo que nunca os quis.”

Espetáculo: Cabaré de Palhaços

Grupo: Diversxs Palhaços (Londrina/PR)

Data, horário e local: 02/12, às 16h, Shopping Praça Nova

Data, horário e local: 03/12, às 18h, Casa do Hip Hop (Bairro Porto Real)

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: O grupo Diversxs Palhaços recria e trás o novo Cabaré, o Cabaré de Palhaços. Com cenas e esquetes que tem a intenção de divertir e arrancar risadas do publico. Tendo como apresentadores dois palhaços muito engraçados que convidam a cena outros tantos talentosos (pelo menos é o que eles acham). Entrando no mundo cômico percebemos a espertezas de um e lerdezas de outros. Um gran finale marca a apresentação chamando todos a se divertirem junto com eles.

Espetáculo: “Aeroplanos”

Grupo: Antonio Petrin e Roberto Arduin (São Paulo/SP)

Data e horário: 02/12, às 19h

Local: Teatro Paulo Alcides Jorge

Sinopse: “Velhos amigos que chegaram juntos aos 75 anos, Cristo e Chico se identificam, tanto em seu passado, com um grande apego e apreço à vida, como no presente, em suas respectivas solidariedades: um no âmago de uma possível enfermidade e outro internado em um asilo por sua família, que se mudará para outro país. A solidão e a inexorável perspectiva da morte são encaradas de frente, exigindo atitudes, dado que ‘a eternidade está no minuto que vivemos’, como filosofa um dos personagens. Brincando, mas sem forçar a barra, superam e quebram as regras. Tomam um avião, um “aeroplano” em suas fantasias, e decidem dar uma volta ao mundo. Finalmente convertidos em “aeroplanos”, se entrecruzam as cenas em plena exaltação, esquecidos de tudo e imensamente felizes.”

Espetáculo: “Luis Antonio – Gabriela ”

Grupo: Cia Mungunzá (São Paulo/SP)

Data e horário: 02/12, às 20:30

Local: Teatro Castro Alves

Classificação indicativa: 16 anos

Sinopse: “O espetáculo Luis Antonio – Gabriela revela a trajetória, por meio de impressões recortadas, de um travesti de meia idade que, posteriormente, se tornou uma figura conhecida no exterior sob o codinome Gabriela. Por meio de levantamentos biográficos que consistem em fotografias, diários, cartas, entrevistas com familiares e amigos e objetos pessoais, a Cia Mungunzá de Teatro leva ao palco a forte história que se passa sob o reflexo da violência familiar em decorrência da ditadura militar a partir de vários pontos de vista O irmão caçula abusado sexualmente pelo mesmo, a irmã mais velha que sai em busca do corpo do irmão pelo mundo, um pai que não o reconhecia como filho, amigos e colegas de trabalho que detinham um misto de estranhamento e admiração por sua figura, e pelo próprio olhar de Luis Antonio, garoto que aos oito anos descobre a homossexualidade e desde então entra em uma busca incessante pela própria identidade, pela qual se descobre a vida.

Espetáculo: “Era uma Era”

Grupo: Cia Mungunzá (São Paulo/SP)

Data e horário: 03/12, às 19h

Local: Praça Getúlio Vargas

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Em ERA UMA ERA os personagens que contam a história do Grande Reino Ainda Sem Nome surgem de uma caixa abandonada. Barba Rala, rei deste Reino deseja a todo custo entrar para a história dando um nome ao seu Reino. A única forma que um Reino tem de ser reconhecido e entrar para a história, são completando 100 páginas no Grande Livro de Autos. Assim, o rei resolve registrar todo e qualquer passo nesse livro. Até que um dia, após um incêndio, o livro é destruído e os habitantes tem que recomeçar sua vida do zero. No entanto, nessa segunda parte da história, os tempos são outros e a tecnologia domina a vida das pessoas. A peça se repete, mas completamente contextualizada no caos da era digital. Novamente o Reino cresce e vai se preenchendo de memórias e registros e selfies até entrar em colapso de novo. O que pode salvar a memória de um reino?

Espetáculo: “Poema suspenso para uma cidade em queda”

Grupo: Cia Mungunzá (São Paulo/SP)

Data e horário: 03/12, às 21h

Local: Praça Getúlio Vargas

Classificação indicativa: 16 anos

Sinopse: Poema suspenso para uma cidade em queda Uma pessoa cai do topo de um prédio e não chega ao chão. Os anos passam e este corpo não consuma a queda. A partir daí, a vida das pessoas nos apartamentos fica presa numa espécie de buraco negro pessoal, onde cada um vive uma experiência que não finaliza, que gira em círculos, não se desenvolve e não olha para seu entorno. Cada personagem fica preso em sua metáfora, ignorando o conjunto à sua volta. Trata-se de uma fábula contemporânea sobre a sensação de suspensão e paralisia geral do mundo contemporâneo. Através do excesso de possibilidades, de informações e uma abertura de infinitos caminhos a percorrer em um segundo, o homem para diante de tudo e começa a traçar um caminho circular dentro de seu reduto que, muitas vezes, ilude a vida, mas, na verdade, é puro preenchimento de espaço.

Espetáculo: “A Coragem que Conserva os Dentes”

Grupo: Coletivo ClanDestino (Dourados/MS)

Data e horário: 03/12, às 17h

Local: Praça Getúlio Vargas

Sinopse: “Os lugares são comuns, as situações cotidianas, os personagens se encontram em qualquer esquina. Todos iguais em suas contradições. De que lado você vai ficar? O Coletivo CLanDesTino propõe o enfrentamento público/personagem/ator de forma tragicômica. Os personagens são representações sociais, alegorias do poder estabelecido em nossa sociedade, uma narrativa de desconstrução social. Parte-se de um mundo ideal, o conflito se estabelece através de metáforas que ressignificam a naturalidade das divisões sociais impostas no mundo contemporâneo.”

Espetáculo: “OFÉLIA\Hamlet Rock/MACHINE”

Grupo: Teatro de Riscos (Ribeirão Preto/SP)

Data e horário: 03/12, às 22h30

Local: Porks Bar

Sinopse: “Dentro de um Bunker de metal, oito atores trazem para cena a desconstrução da obra shakespereana. O drama não interessa mais, o texto se perdeu. Hamlet, príncipe da Dinamarca, é também comida para vermes, o assassinato do seu pai torna-se pequeno diante da urgência de revolução que vem das ruas. Ofélia surge como a mulher feminista do século XXI, que escancara pelas portas do mundo o seu estupro, assédio, homicídio e revolta.”